Select Page

Via Sacra

NA IGREJA DE SÃO NICOLAU

Faça a Via Sacra, nas 6ªs feiras da Quaresma, às 13h.

 

PELAS RUAS DA BAIXA E DO CHIADO

Faça a Via Sacra, nas 6ªs feiras da Quaresma, da Igreja da Madalena às 21h30 para a Igreja do Sacramento.

I Estação - Jesus é condenado à morte

I Estação
Jesus é condenado à morte

“Pilatos disse-lhes: «Que hei-de fazer, então, de Jesus Chamado Cristo?» Todos Responderam: «Seja crucificado!» Pilatos insistiu: «Que mal fez Ele?» Mas eles cada vez gritavam mais: «Seja crucificado!» Então, soltou-lhes Barrabás. Quanto a Jesus, depois de o mandar flagelar, entregou-o para ser crucificado.” (Mt 27, 22-23.26)

II Estação - Jesus toma a Cruz aos ombros

II Estação
Jesus toma a Cruz aos ombros

“Os soldados do governador conduziram Jesus para o pretório e reuniram toda a coorte à volta dele. Despiram-no e envolveram-no com um manto escarlate. Tecendo uma coroa de espinhos, puseram-lha na cabeça, e uma cana na mão direita. Dobrando o joelho diante dele, escarneciam-no, dizendo: «Salve! Reis dos Judeus!» E, cuspindo-lhe o rosto, agarravam na cana e batiam-lhe na cabeça. Depois de o terem escarnecido, tiraram-lhe o manto, vestiram-lhe as suas roupas e levaram-no para ser crucificado.” (Mt 27, 27-31)

III Estação - Jesus cai pela primeira vez

III Estação
Jesus cai pela primeira vez

“Na verdade, ele tomou sobre si as nossas doenças, carregou as nossas dores. Nós o reputávamos como um leproso, ferido por Deus e humilhado. Mas foi ferido por causa dos nossos crimes, esmagado por causa das nossas iniquidades. O castigo que nos salva caiu sobre ele, fomos curados pelas suas chagas. Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas perdidas, cada um seguindo o seu caminho. Mas o Senhor carregou sobre ele os nossos crimes.” (Is 52, 4-6)

IV Estação - Jesus encontra sua Mãe

IV Estação
Jesus encontra sua Mãe

“Simeão abençoou-os e disse a Maria, sua mãe: «Este menino está aqui para queda e ressurgimento de muitos em Israel e para ser sinal de contradição; uma espada trespassará a tua alma.» Sua mãe guardava todas estas coisas no seu coração.” (Lc 2, 34-35.51

V Estação - Jesus é ajudado pelo Cireneu a levar a Cruz

V Estação
Jesus é ajudado pelo Cireneu a levar a Cruz

“à saída encontraram um homem de Cirene, chamado Simão, e obrigaram-no a levar a cruz de Jesus. “ (Mt 27, 32; 16, 24)

VI Estação - A Verónica limpa o rosto de Jesus

VI Estação
A Verónica limpa o rosto de Jesus

“Vimo-lo sem aspecto atraente, sem figura nem beleza, desprezado e abandonado pelos homens, como alguém cheio de dores, habituado ao sofrimento, diante do qual se tapa o rosto, menosprezado e desconsiderado.” (Is 53, 2-3)

VII Estação - Jesus cai pela segunda vez

VII Estação
Jesus cai pela segunda vez

“Eu sou o homem que conheceu a miséria, sob a vara da sua ira. Conduziu-me e fez-me caminhar nas trevas e não na luz. Bloqueou-me o caminho com pedras, fez-me seguir por estrada errada. Quebrou-me os dentes com uma pedra e mergulhou-me na cinza.” (Lam 3, 1-2.9.16)

VIII Estação - Jesus encontra as mulheres de Jerusalém que choram por Ele

VIII Estação
Jesus encontra as mulheres de Jerusalém que choram por Ele

“Jesus voltou-se para as mulheres e disse-lhes: «Filhas de Jerusalém, não choreis por mim, chorai antes por vós mesmas e pelos vossos filhos; pois virão dias em que se dirá: “Felizes as estéreis, os ventres que não geraram e os peitos que não amamentaram.” Hão-de, então, dizer aos montes: “Caí sobre nós!” E às colinas: “Cobri-nos!” Porque, se tratam assim a árvore verde, o que não acontecerá à seca?” (Lc 23, 28-31)

IX Estação - Jesus cai pela terceira vez

IX Estação
Jesus cai pela terceira vez

É bom para o homem carregar o jugo, desde a sua juventude. Que se recolha em silêncio, quando o senhor o põe à prova; que ponha a sua boca na cinza, talvez encontre esperança; que apresente a face a quem o fere e suporte as afrontas. Porque o Senhor não rejeita ninguém para sempre. Embora castigue, tem compaixão, porque é grande o seu amor.” (Lam 3, 27-32)

X Estação - Jesus é despojado pelas suas roupas

X Estação
Jesus é despojado das suas roupas

“Quando chegaram a um lugar chamado Gólgota, isto é, «lugar do crânio», deram-lhe a beber vinho misturado com fel; mas Ele, provando-o, não quis beber. Depois de o terem crucificado, repartiram entre si as suas vestes, tirando-as à sorte. Ficaram ali sentados a guardá-lo.” (Mt 27, 33-36)

XI Estação - Jesus é pregado na Cruz

XI Estação
Jesus é pregado na Cruz

“Por cima da Sua cabeça, colocaram um escrito, indicando a causa da Sua condenação: «Este é Jesus, o Rei dos Judeus.» Com Ele, foram crucificados dois salteadores, um à direita e outro à esquerda. Os que passavam injuriavam-no, meneando a cabeça e dizendo: «Tu, que destruías o templo e o reedificavas em três dias, salva-te a ti mesmo” Se és Filho de Deus, desce da cruz!» Os sumo-sacerdotes com os doutores da Lei e os anciãos também zombavam dele, dizendo: «Salvou os outros e não pode salvar-se a si mesmo! Se é o rei de Israel, desça da cruz, e acreditaremos nele!»” (Mt 27, 37-42)

XII Estação - Jesus morre na Cruz

XII Estação
Jesus morre na Cruz

“Desde o meio-dia até às três horas da tarde, as trevas envolveram toda a terra. Cerca das três horas da tarde, Jesus clamou com voz forte: «Eli, Eli, lema sabactháni?», isto é, «Meu Deus, Meu Deus, porque me abandonaste?» Alguns dos que ali se encontravam, ao ouvi-lo, disseram: «Está a chamar por Elias.» Um deles correu imediatamente, pegou numa esponja, embebeu-a em vinagre e, fixando-a numa cana, deu-lhe de beber. Mas os outros disseram: «Deixa, vejamos se Elias vem salvá-lo.» E Jesus, clamando outra vez com voz forte, expirou.”

XIII Estação - Jesus é descido da Cruz

XIII Estação
Jesus é descido da Cruz

“O centurião e os que com ele guardavam Jesus, vendo o tremor de terra e o que estava a acontecer, ficaram apavorados e disseram: «Este era verdadeiramente o Filho de Deus!» Estavam ali, a observar ao longe, muitas mulheres que tinham seguido Jesus desde a Galileia e o serviram.” (Mt 27, 45-50)

XIV Estação - Jesus é depositado no sepulcro

XIV Estação
Jesus é depositado no sepulcro

“José tomou o corpo, envolveu-o num lençol limpo e depositou-o num túmulo novo, que tinha mandado talhar na rocha. Depois, rolou uma grande pedra contra a porta do túmulo e retirou-se. Maria de Magdala e a outra Maria estavam ali sentadas, em frente ao sepulcro.” (Mt 27, 59-61)