Select Page

No encerramento da CXCIV Assembleia Plenária da Conferência Episcopal Portuguesa, os bispos portugueses voltaram a pedir um “diálogo sereno e humanizador” sobre a questão da eutanásia, recordando as palavras fortes que o Santo Padre escreveu acerca deste tema na recente Exortação Apostólica Gaudete et Exsultate. À semelhança do Papa, os bispos portugueses condenam a emergência de uma cultura do descarte, que retira protecção aos mais vulneráveis.

Por outro lado, os bispos alertaram para os riscos de nova legislação sobre a mudança de sexo, reafirmando que “a dimensão sexuada, a masculinidade ou feminilidade, é constitutiva da pessoa, é o seu modo de ser, não um simples atributo. É a própria pessoa que se exprime através da sexualidade. A pessoa é, assim, chamada ao amor e à comunhão como homem ou como mulher. E a diferença sexual tem um significado no plano da criação: exprime uma abertura recíproca à alteridade e à diferença, as quais, na sua complementaridade, se tornam enriquecedoras e fecundas”.

Leia aqui o discurso de D. Manuel Clemente na abertura da Assembleia Plenária.

Leia aqui o comunicado final dos bispos.

@ Foto: Família Cristã